Justiça


Justiça determina prisão de oficial PM acusado de abuso sexual

O tenente-coronel Eduardo Botelho Trigueiros foi condenado em 2003 pelo juiz Hélder Loureiro.

Danielle Silva/Alagoas24Horas/ArquivoAcademia de Polícia Militar

Academia de Polícia Militar

O juiz Ricardo Jorge de Lima, titular da Vara de Execuções Penais determinou nesta quarta-feira, 22, a prisão do oficial médico da PM tenente-coronel Eduardo Botelho Trigueiros, condenado em 2003 pelo juiz Hélder Loureiro, da 4ª Vara Criminal a cumprir pena de sete anos e meio de reclusão por Atentado Violento ao Pudor. O juiz alegou que está atendendo uma nova determinação da Justiça, proferida em janeiro, que prevê pena em regime fechado.

O oficial é acusado de abusar sexualmente de sua ex-enteada, em 1999, quando a vítima tinha 10 anos. Na ocasião, a denúncia foi feita pelos familiares da garota.

Loureiro determinou que Trigueiros cumprisse pena em regime semi-aberto e sua expulsão da corporação. No entanto, o Tribunal de Justiça julgou na sequência um recurso que tornou possível que Trigueiros continuasse a trabalhar no Hospital da PM.

O caso polêmico, de grande repercussão no Estado acabou sendo julgado pela Superior Tribunal de Justiça (STJ). A instância superior determinou a manutenção da pena em regime semi-aberto e entendeu que ficaria a cargo dos órgãos de controle interno da PM a decisão sobre sua permanência.
Somente em maio do ano passado o Conselho de Justificação anunciou a permanência do oficial nos quadros da PM, por sua conduta profissional “irrepreensível”. Esta decisão somente chegou ao Ministério Público em maio de 2010.

Todavia, o caso ainda segue na Justiça. Em junho passado, o promotor de Justiça Flávio Gomes da Costa requisitou a expulsão do tenente-coronel da Polícia Militar. O promotor afirma que a Ação Civil por Ato de Improbidade, que pede a expulsão do tenente-coronel Eduardo Trigueiros, já foi protocolada na Justiça e se encontra nas mãos do Juiz Kléver Loureiro, da 18ª Vara Cível da Capital. “O crime “hediondo” não pode ficar sem punição”, afirmou o promotor.

Trigueiros se encontra preso na Academia de Polícia Militar. Sua defesa já informou que ingressou com pedido de habeas corpus, que já foi concedido pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ).

Comente

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>